segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Amar o Silêncio

Sob o céu da minha Aldeia

Oura (Céu, 2009)


Em 2009, sentada nas traseiras da casa lá da Aldeia, quase me ouvia a pensar.

Sentia a paz, o crescer do sonho e a alegria de estar comigo.

Lembro-me de tirar esta foto e procurar em mim palavras que me trouxessem à lembrança o poema de Neruda: "Peço Silêncio".

O resultado não foi bem conseguido e "rabisquei" as palavras que agora vos deixo:
 

Aprendi a amar o silêncio.
O silêncio diz muito,
Por vezes, diz tudo!
O sentimento é mudo.
Sente-se,
amando.
Não se diz em palavras de "dizer"...
(Mas diz-se!)
Gosto de palavras,
mas amo o silêncio!
Quero as pedras caladas e nuas,
a terra molhada, com cheiro bravio e húmido.
Um céu carregado de "sons"... de outro mundo.
Quero o silêncio terno de uns olhos doces,
quero o teu abraço à chegada,
os teus braços que me apertam devagar,
em silêncio.


Céu


E agora, as palavras do Mestre...


Pido Silêncio, Pablo Neruda





Um poema de Vida !!









3 comentários:

IsaMaria disse...

sempre bonito Céu. Continua que a escrita nesceu contigo.
jinhos

calhabécirculação disse...

Contagiantes estas paixões - pelos silêncios criadores - do mestre e da discípula.

Guida disse...

...não se silencia um abraço?